Translate

segunda-feira, 29 de Abril de 2013

Orquídea, o esplendor à nossa mercê!


            Vi recentemente uma crónica publicada a 24 Julho 2011 no Jornal O Público, escrita por Paulo Moura, que tinha como titulo; “O vício das orquídeas”. Como as orquídeas são assunto do meu interesse, li o texto com curiosidade.
Paulo Moura falava sobre o interesse crescente das pessoas pela beleza do mundo, que nalguns casos se transforma numa verdadeira obsessão. E vai buscar como exemplo os colecionadores de orquídeas.
Diz que são homens ou mulheres, geralmente acima dos 50 anos, os grandes entusiastas, cuja mania se vai agravando com a idade. Tornam-se fanáticos. Neste caso, por orquídeas. Passam horas observando em êxtase os pormenores de espécimes raros ou exóticos; compram orquídeas por preços exorbitantes, procuram por todo o mundo, encomendam-nas, cultivam-nas, guardam sementes, cruzam-nas e criam combinações genéticas.
A orquídea é um ser vivo de beleza concentrada, que deslumbra e comove. Verdadeira. Não foi lapidada como um diamante, nem é formada de ilusões óticas, como uma galáxia distante. Um ser simples e frágil que podemos segurar numa mão. Podemos contemplá-la, mas também amassá-la em menos de um segundo. É o esplendor à nossa mercê, diz Paulo Moura.
Existe algo de erótico numa orquídea. Em 1653, o Guia Herbário Britânico avisava que elas são “quentes e húmidas, sob o domínio de Vénus, e provocam excessivamente sensações de luxúria”.
Uma orquídea pode ser tão bela a ponto de sentirmos que é eterna, embora dure apenas umas semanas e que isso não impede os colecionadores mais loucos de pagarem 20 mil euros ou mais por uma só destas espécies.
Gostei de ler. Para mim, a orquídea é tudo isto! Paulo Moura, de uma forma poética faz uma descrição autêntica sobre o valor, beleza e sensibilidade da flor mais linda do mundo. Por isso, não é de admirar que existam viciados por tamanha beleza, dispostos a pagarem fortunas por um exemplar. E eu não me importava nada de ter como manifestação de amor uma prenda de tamanho valor: uma orquídea!

terça-feira, 23 de Abril de 2013

As minhas Phalaenopsis

A orquídea Phalaenopsis é uma das espécies mais bonitas e populares. De fácil cultivo e de uma durabilidade floral surpreendente, podendo uma haste floral ficar aberta por meses.

Quando bem cultivadas podem florir com frequência, por vezes ao longo de todo o ano, mas a estação principal de floração é no final do inverno e primavera.

Tenho cerca de 22 plantas de Phalaenopsis e são práticamente todas de diferentes cores. vou mostrar algumas fotos das minhasplantas! Espero que gostem!




As minhas Cattleyas

Catléias (em português) são orquídeas de flores grandes e deslumbrantes. Possuem sempre duas ou três folhas coriáceas, de colorido sempre verde-oliva, de mais ou menos 15 centímetros de comprimento e 8 de largura, elíptico-lanceoladas e normalmente florescem entre agosto e outubro. As flores desta espécie têm uma duração média de 15 dias, podendo em alguns casos chegar aos 30 dias floridas.

Tenho neste momento 5 vasos de Cattleyas, sendo 4 de cores diferentes.
Vou publicar algumas fotos de 2 cores em florações diferentes. Espero que gostem!


 

Uma dica muito importante para quem gosta de estar sempre mexendo em suas plantas, tirando-as do lugar para olhar, ou mesmo para apreciar a sua flor dentro de casa.
Nunca mude o vaso de posição após recolocá-lo na bancada, caso isto ocorra a planta irá sentir a diferença podendo não florir no ano seguinte.

Coloque sempre a frente da planta (o broto novo) para a direção do sol das 8:00 h, esta é a posição correta para uma melhor vegetação da mesma.

A cor ideal para a folha das cattleyas é o verde alface, caso a folha esteja muito escura a planta poderá vir a não florir. A cor amarelada é sinal de excesso de luminosidade, podendo vir a queimar as folhas dando um aspecto feio e irreversível.

Podem ver através deste vídeo o modo fazer o transplante de Cattleya


Existem alguns fatores importantes para o bom desenvolvimento das orquídeas. São eles: luminosidade, umidade, temperatura, adubação, cuidados contra pragas e arejamento. O bom equilíbrio entre esses fatores nos ajuda muito a cultivar melhor nossas plantas.

segunda-feira, 22 de Abril de 2013

A minha Brassia

A Brassia Verrucosa é uma orquídea de formato diferente que chama a atenção pela sua elegância e perfume.

A haste floral tem cerca de 35 cm e as flores são dispostas alinhadas. Cada flor mede 21 cm de altura por 9 cm de largura. Floresce no verão e pode ser cultivada em regiões de clima ameno a quente. 
Por ser uma planta muito robusta é de fácil cultivo.

Estou publicando 2 fotos da única planta que tenho e que me foi oferecida pela minha irmã, também apaixonada pelas orquídeas.
 















Modo de Cultivo:
  • Usar substratos à base de casca de pinheiro de tamanho grande, estar em ambientes temperados e húmidos, com fertilizações ao longo do ano, tendo sempre em conta o adubar depois da floração com adubo NPK formulação 10-10-10, utilizando uma colher de sopa/litro de água, diluindo bem.
  • O recipiente pode ser de plástico ou cerâmica com bons orifícios de drenagem.
  •  A propagação é feita por divisão de touceira, mas é mais interessante deixar a muda com inúmeros filhotes, permitindo que a planta fique mais volumosa e assim quando florir tenha um maior número de hastes.
  • Na primavera dar condições mais de ambiente de mato para a planta: usar adubo animal curtido em um balde de água, misturar e coar. Regar o substrato com esta mistura.
Depois esperar que dê flores lindas!

Os meus Paphiopedilum (orquídea sapatinho)

As Paphiopedilum são orquídeas famosas pelas formas interessantes de suas flores que se assemelham a uma taça. É uma orquídea fácil de cultivar e mesmo sem flores sua folhagem é atrativa, constituindo em belo adorno e ambientes internos com luminosidade.
Suas flores têm grande resistência, podendo se manter saudáveis por longos períodos.

Tenho mais ao menos 10 vasos com 6 variedades.
Vou mostrar-vos algumas fotos que tenho dos meus (sapatinhos)









De modo geral as florações deste gênero são muito bonitas e peculiares. A floração em geral, ocorre no outono e inverno, entretanto, algumas espécies apresentam flores em diferentes épocas do ano. Geralmente tem uma duração entre 15 a 45 dias, dependendo da espécie.

Como Cuidar:

Esta planta precisa de algumas exigências que se atendidas florescerá muito bem.

Luminosidade: Gosta de estar na sombra, em local fresco.

Água: Mantenha o solo sempre úmido, mas não encharcado.

Adubo : Por se Tratar de uma planta bastante rústica, desde que seja obedecido as condições ideais para seu cultivo, não é necessária manutenção constante, pois se trata de plantas de lento crescimento, não necessitando de grandes quantidades de nutrientes.
Para adubar esta planta poderá usar adubo foliar NPK 15-30-15 ou, NPK 10:10:10, dissolvido em água (1 colherinha de chá para 2 litros de água), agitar até dissolver todo o granulado. Borrifar as folhas e o substrato, a cada 3 meses durante o período vegetativo e 1 vez por semana, no mês que antecede a floração.

A multiplicação das mudas deverá ocorrer no início da primavera. Época em que as plantas estarão em pleno A multiplicação das mudas deverá ocorrer no início da primavera. Época em que as plantas estarão em pleno desenvolvimento, além de coincidir com o início do período chuvoso., além de coincidir com o início do período chuvoso.

As minhas Orquídeas Cymbidiuns

A Cymbidiuns é uma planta da família das orquídeas. Muito bonita e elegante! Em minha casa tenho cerca de 22 vasos com mais ao menos 8 cores diferentes.

Vou mostrar-vos algumas fotos que tenho das minhas orquídeas!










É uma planta fácil de cultivar, precisando apenas de alguns cuidados essenciais para se manter bela e saudável.

É na Primavera e Verão que a Cymbidium dá inicio ao seu processo de floração, com a formação e maduração de rebentos que se formam na base dos rebentos já existentes. Quando as temperaturas começam a tornar-se mais frias, no final do Verão e inicio do Outono, surge a vara floral. Apenas no Inverno é que se dá a floração propriamente dita, que dura entre 8 a 12 semanas.

Cuidados essenciais

A Cymbidium é uma planta que precisa de alguns cuidados essenciais para se manter saudável e produzir flores bonitas todo o ano:

Rega – A rega deve ser feita quando o substrato estiver seco. No interior de casa, se possível, borrifar água nas folhas diariamente ( não molhar as flores), sem deixar acumular água no fundo do vaso. O aconselhável é que a rega seja feita a cada 2 ou 3 dias desde os finais da primavera até setembro. No final Inverno, a rega deve ser feita apenas uma vez por semana.

 Luz – É uma planta que necessita de luz forte durante todo o ano. No entanto, esta não deverá ser exposta a luz solar direta, sobretudo nas horas de maior calor.

Temperatura – A temperatura ideal no Verão é de 23 a 30ºC, enquanto que no Outono e Inverno o Cymbidium prefere  temperaturas ente os 12 e os 14ºC. 

Substrato – O melhor tipo de substrato para que esta planta se desenvolva da melhor forma é o substrato especial para orquídeas. Escolha uma mistura de turfa e cascas, que drene bem e com pH entre 5 e 6.

Adubação – Quando a planta começa a brotar é recomendado adubar uma vez por mês, com adubo orgânico. Na altura da primavera e verão, o ideal é junatar também um pouco de adubo líquido próprio para orquídeas na água da regas (a cada duas regas). Este processo deve ser feito sempre com o substrato já molhado, de forma a não danificar as raízes da planta. 

Localização – Evite colocar Cymbidium em locais com ar condicionado ou ventosos, assim como colocá-los próximos a lâmpadas de hologêneo. É uma planta que não necessita de ser cultivada em vasos muito grandes, crescendo melhor quando as raízes estão compactas. No entanto, tenha o cuidado de evitar recipientes porosos, dando preferência a vasos com boa drenagem.

quinta-feira, 18 de Abril de 2013

Como cuidar de orquídeas


Conta-se que há cerca de 3.000 anos, a Rainha de Sabá estava indecisa sobre como presentear o Rei Salomão. Afinal, o que poderia encantar um rei tão poderoso? Uma escrava lhe trouxe a decisão: "ao maior dos reis, leve um feixe de orquídeas".
Passado tanto tempo, o fascínio ainda persiste e as orquídeas continuam a aumentar sua legião de fãs e apaixonados. E hoje, é possível adquirir lindos exemplares desta planta por preços bem acessíveis, até em supermercados! Bem tratadas, as orquídeas produzem belas floradas anualmente. 
Veja aqui alguns detalhes básicos para cultivá-las corretamente:

1. As orquídeas gostam de luz natural abundante mas não suportam a exposição direta aos raios solares.

2. A temperatura deve ser estável e idealmente nunca inferior a 20º C.

3. Onde deixar as orquídeas? O principal fator que determina seu bom florescimento e desenvolvimento é a luminosidade do local onde ela é deixada. A luminosidade local deve ser semelhante à que encontramos em seu hábitat natural.

As orquídeas em geral exigem um local em meia-sombra. Deixar sob a copa de árvores é uma boa opção, mas nem sempre isso é possível.
Em nossas casas, elas podem ser mantidas em locais onde bate sol direto em algum período do dia, de preferência, com o sol da manhã (até as 9 horas) ou no final da tarde (depois das 16 horas). Se a planta não tomar sol, ela não vai florescer. Podemos colocá-las também sob os beirais do telhado, varandas e sacadas costumam serem bons locais para deixar as orquídeas. 
No verão, em dias secos, gostam de ser borrifadas nas folhas.

4. A rega das orquídeas é o principal segredo dos seus bons cuidados. Gostam de receber abundante água através do vaso. Podem ficar mergulhadas em água 15 minutos. Mas, depois a água da rega deve escorrer completamente. O maior inimigo das orquídeas é a água ou excesso de humidade nas suas raízes o que as leva a apodrecer e a desenvolverem fungos. As orquídeas preferem a sede ao excesso de água! 
Nunca coloque o vaso sobre um prato com água.
Volte a regar apenas quando a camada superior da terra estiver seca.

5. Se uma folha se desprender do tronco, passe canela em pó no local. É antifúngico e cicatrizante.

6. As orquídeas podem ter parasitas, pulgões, lapas e cochonilhas.
Os pulgões podem ser facilmente eliminados borrifando-se uma mistura de água e detergente, ou mesmo inseticidas domésticos à base de água, como o "SBP". Já as cochonilhas devem ser removidas manualmente, sob a torneira, raspando-se as folhas com uma escova macia (pode ser uma escova dental).
 
7. A terra para os vasos da orquídeas é especial. Se quiser mudar de vaso as suas orquídeas, escolha bem a terra que vai usar. Deve ser constituída por cascas de árvores em decomposição, leve e muito ácida.


8. Quando renovar o vaso? Quando a planta estiver excessivamente ramificada, ou com as raízes muito grandes para o vaso, devemos efetuar a divisão da planta, ou passá-las a um vaso maior, pois suas raízes já não possuirão mais espaço para seu bom desenvolvimento. Lembre-se que muitas orquídeas criam raízes fora do vaso mesmo que não esteja faltando espaço, o que é normal. Outro critério é trocarmos o vaso quando o substrato começar a drenar mal a água, o que indica um excesso de raízes.



Leia mais dicas nos linques em baixo de como cuidar/cultivar orquídeas


O que são as orquídeas?



As orquídeas pertencem a uma família de plantas subdividida em mais de 1800 gêneros e cada gênero possui de uma a centenas de espécies. Como o número total de espécies oscila de uma a centenas, tem-se um total de 35000 espécies em todos os cantos do mundo. Por exemplo, o gênero Isabella possui duas espécies, já o Cattleya possui cerca de 70 espécies e o Bulbophyllum tem mais de 1000 espécies. As orquídeas mais populares são dos gêneros (C) Cattleya, (L) Laelia, (Onc) Oncidium (por ex. a "chuva de ouro"), (Milt) Miltonia, (D) Dendrobium, (V) Vanda, (Phal) Phalaenopsis e (Paph) Paphiopedilum.


O meu hobby

As orquídeas são das flores mais apreciadas em todo o mundo e muitas pessoas fazem de seu cultivo um hobby, no qual me incluo. A minha paixão pelas Orquídeas já vem de alguns anos a esta parte.
Só para verem,  quando casei e já vão 34 anos, o meu arranjo de flores foram Cattleyas brancas.
  
   
  

quarta-feira, 17 de Abril de 2013

Orquídea - Charles Darwin

 

Charles Darwin, famoso naturalista britânico do séc. XIX, esteve na Ilha da Madeira e era um grande apreciador de orquídeas. Numa de suas cartas escreveu o seguinte:

"Você não pode imaginar o quanto as orquídeas me deliciaram. Que lindas estruturas! A beleza das partes adaptadas me parece sem igual. Fiquei quase louco diante da fartura de orquídeas. Uma flor esplêndida de Catasetum, a orquídea mais linda que já vi. Feliz do homem que chegou a ver bandos de abelhas voando em torno de uma Catasetum, com a polínia colada às costas! Nunca me interessei tanto na vida por um assunto quanto esse das orquídeas." 

 

Catasetum